REFUTUR em Lisboa – 23 formandos/as recebem certificados

Imprimir
O ACM promoveu esta quarta-feira, dia 17 de julho, na Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa, a sessão de entrega de Certificados do Curso REFUTUR – Projeto de Capacitação em Turismo, às 23 pessoas imigrantes e refugiadas, na sua maioria oriundos/as de Angola, Somália, Síria, Brasil, Nepal e Jamaica, que concluíram com sucesso esta  formação.
 
 O Alto-comissário para as Migrações, Pedro Calado, e a Diretora e Coordenadora de Formação do Turismo de Portugal, Ana Paula Pais, abriram a cerimónia, com a entrega dos certificados a ser realizada pela Diretora desta Escola de Hotelaria, Ana Moreira, e pelo Diretor do Departamento de Relações Internacionais, Política Migratória e Captação de Migrantes, do ACM, Vasco Malta.
 
Esta Capacitação em Turismo, realizada em Lisboa, entre os meses de fevereiro e maio, incluiu duas vertentes: a de Restauração, em que participaram nove formandos/as, dos/as quais 5 pessoas refugiadas e 4 pessoas imigrantes, e a de Alojamento, onde participaram no total 14 pessoas refugiadas.
 
No Curso de Restauração, dos/as 9 formandos/as finalistas da ação, 7 serão já encaminhados/as para estágio. Dois dos/as alunos/as não seguirão para essa fase, pois já se encontram a trabalhar. No Curso de Alojamento, 13 dos formandos/a serão colocados/as em estágio, encontrando-se uma pessoa já em situação de trabalho efetivo. Os estágios arrancarão no início do mês de agosto.
 
O Alto-comissário para as Migrações não deixou de manifestar a sua satisfação pelo “balanço positivo” desta ação de capacitação e de congratular os/as formandos/as pelo facto de terem concluído o curso com sucesso.
 
“Para mim, foi uma porta que se abriu”
 
“O futuro ganhou uma nova cor”, diz Shanice, que frequentou o Curso de Alojamento. Tem 27 anos de idade, veio da Jamaica e não esconde a felicidade por ter concluído um curso que lhe abriu novas perspetivas de vida: “Os formadores foram especiais e fizeram o seu trabalho com amor. Estou orgulhosa de mim e de todos”, acrescentou.
 
A culinária é a grande paixão de Maher Al Araj, aluno do Curso de Restauração. Natural da Síria, o jovem ganhou especial gosto por algumas iguarias portuguesas, nomeadamente o Pastel de Nata. Os Pratos de Camarão são os que mais gosta de confecionar. Também para Sandra Domingos, angolana, de 30 anos, “a hotelaria é uma grande paixão” e significa também “um futuro profissional”.
 
“Crescer profissionalmente nesta área do Alojamento” é a meta principal de Lablond. Natural de Angola, tem 29 anos, e muitos sonhos para concretizar. "Para mim, este curso foi uma porta que se abriu”, revela.
 
Chandan Thakur, natural do Nepal, tem 28 anos, e a participação no Curso de Restauração representou não só “um passo em frente para novas oportunidades”, mas também uma forma de aprender a trabalhar em equipa. Além de um futuro profissional, veio também a amizade entre os/as alunos/as: “Somos uma boa equipa. Todos queremos fazer alguma coisa por este país”, realçou.
 
No próximo dia 24 de julho, irá decorrer a sessão de entrega de certificados do curso realizado na Escola de Hotelaria e Turismo do Porto, que decorreu de janeiro a março, apenas na vertente Restauração. Esta ação, contrariamente à de Lisboa, integrava já o estágio. Finalizaram o curso, 11 mulheres imigrantes, três delas já contratadas pelas empresas após o estágio. Duas das formandas foram ainda referenciadas pelos hotéis onde concluíram o estágio às empresas de outsourcing que com eles colaboram.